Hazel Grace é uma adolescente que sofre de câncer de pulmão e precisa usar um tanque de oxigênio para respirar. Ela vive sua vida na sombra da doença, sem perspectivas de um futuro feliz. Mas, tudo muda quando ela conhece Augustus Waters, que tem um senso de humor irreverente e uma visão única sobre a vida.

A amizade entre Hazel e Augustus se transforma em algo mais profundo e eles se apaixonam. Juntos, eles embarcam em uma jornada para conhecer o autor de seu livro favorito, Peter Van Houten, e descobrem a verdadeira história por trás do livro.

Durante a jornada, Hazel e Augustus enfrentam desafios emocionais e físicos. Eles lidam com a morte e o medo de serem esquecidos. Mas, ao mesmo tempo, descobrem a importância do amor e da aceitação de si mesmos.

O livro favorito de Hazel, “Uma Aflição Imperial” de Peter Van Houten, é uma metáfora da vida de Hazel e Augustus. Peter Van Houten é um autor recluso que escreveu um livro sobre um jovem que sofre de uma doença terminal. O livro termina abruptamente deixando o leitor sem saber o que aconteceu com o protagonista. Hazel e Augustus querem saber o final da história, assim como querem saber o que acontecerá com eles mesmos.

No final, Hazel e Augustus descobrem que o verdadeiro significado do livro é a beleza do caos e da imperfeição da vida. Eles percebem que o amor e a aceitação de si mesmos são as únicas coisas que importam. Eles aprendem a viver no presente e a serem gratos por cada momento. Eles percebem que a vida não precisa ser perfeita para ser bonita.

Em conclusão, o livro favorito de Hazel Grace é muito mais do que uma história sobre uma jovem que sofre de uma doença terminal. É uma história sobre amor, perda e auto-aceitação. É uma história sobre encontrar felicidade nas pequenas coisas da vida. É uma história sobre estar vivo.